A Agricultura Biológica

A Agricultura Biológica é um sistema de produção que promove e melhora o ecossistema, ao fomentar a biodiversidade, os ciclos biológicos e a actividade biológica do solo. Privilegia o uso de boas práticas de gestão da exploração agrícola, em lugar do recurso a factores de produção externos, tendo em conta que os sistemas de produção devem ser adaptados às condições locais. Isto é conseguido, sempre que possível, através do uso de métodos culturais, biológicos e operativos em detrimento da utilização de produtos exteriores à exploração ou exógenos ou sintéticos.

uma Joaninha

A existência de Joaninhas só acontece num ambiente limpo

A Agricultura Biológica, também conhecida como “agricultura orgânica” (Brasil e países de língua inglesa), “agricultura ecológica” (Espanha, Dinamarca) ou “agricultura natural” (Japão) caracteriza-se por possuir uma base:

Ecológica
Baseia-se no funcionamento do ecossistema agrário e recorre a práticas – como rotações culturais, adubos verdes, consociações, luta biológica contra pragas e doenças – que fomentam o seu equilíbrio e biodiversidade;

Sustentável
– Visa manter e melhorar a fertilidade do solo a longo prazo, preservando os recursos naturais solo, água e ar e minimizar todas as formas de poluição que possam resultar de práticas agrícolas;
– Reciclar restos de origem vegetal ou animal de forma a devolver nutrientes à terra, minimizando deste modo o uso de recursos não-renováveis;
– Depender de recursos renováveis em sistemas agrícolas organizados a nível local. Assim, exclui a totalidade dos produtos químicos de síntese como adubos, pesticidas, reguladores de crescimento e aditivos alimentares para animais.

Socialmente Responsável
A Agricultura Biológica une os agricultores e os consumidores na responsabilidade de:
– Produzir alimentos e fibras de forma ambiental, social e economicamente sã e sustentável;
– Preservar a biodiversidade e os ecossistemas naturais;
– Permitir aos agricultores uma melhor valorização das suas produções e uma dignificação da sua profissão, bem como a possibilidade de permanecerem nas suas comunidades;
– Garantir aos consumidores a possibilidade de escolherem consumir alimentos de produção biológica, sem resíduos de pesticidas de síntese e, consequentemente, melhor para a saúde humana e para o ambiente